Conheça 41 atrações de graça no Rio de Janeiro

É possível visitar o Rio gastando muito pouco, principalmente depois que você descobrir essas 41 atrações gratuitas da cidade.

0 150

A Cidade Maravilhosa do Rio de Janeiro é tão democrática, que a maioria das suas atrações são gratuitas.

Claro que seus 2 principais cartões postais, o Cristo Redentor e o Pão de Açúcar são pagos, mas sua terceira atração mais famosa, a Praia de Copacabana, também é gratuita.

Eu duvido que exista uma cidade no mundo que tenha tanta coisa bacana para fazer de graça, como o Rio de Janeiro

Vamos à lista?

O que fazer de graça no Rio de Janeiro

Aqui no blog tem diversos artigos sobre o Rio e você pode acessar aqui, de acordo com seu interesse:

Rio de Janeiro, beleza e caos que o mundo inteiro ama.

13 lugares para tomar café da manhã no Rio de Janeiro.

29 praias do Rio para você conhecer.

Veja como conhecer os principais pontos turísticos do Rio.

Centro

1 – Catedral Metropolitana de São Sebastião do Rio de Janeiro

Catedral do Rio de Janeiro

Particularmente, acho o prédio da Catedral do Rio medonho por fora, mas lindo por dentro. Faz parte do roteiro turístico do centro do Rio e fica só 450 m dos Arcos da Lapa

Como chegar na catedral metropolitana.

2 – Lapa

Cartão postal tradicional do centro do Rio, visitar os Arcos da Lapa por baixo é um clássico de quem vem turistar no Rio de Janeiro. Não perca esta oportunidade de tirar várias fotos.

Como chegar aos Arcos da Lapa.

3 – Escadaria Selarón

A 400 metros dos Arcos da Lapa, está a multicolorida Escadaria Selarón, que hoje em dia é tão fotografada quanto os famosos arcos.

Como chegar à Escadaria Selarón

4 – Biblioteca Nacional

Considerada pela UNESCO uma das 10 maiores e mais importantes bibliotecas nacionais do mundo, o que não é pouca coisa, tem bela arquitetura e guarda em seu acervo, além de milhares de livros, algumas raridades como a Bíblia de Gutenberg de 1462

Como chegar à Biblioteca Nacional

DICA: As 4 primeiras atrações indicadas aqui ficam relativamente próximas umas das outras e podem ser percorridas a pé. Caso você faça esse passeio durante os finais de semana, tenha cuidado com lugares desertos.

5 – Real Gabinete Português de Leitura

Salve salve o Instagram e a primeira pessoa que visitou e fotografou o belíssimo interior dessa biblioteca do Rio. Além da beleza do lugar e do acervo valioso, o Real Gabinete promove eventos como palestras, cursos e lançamentos de livros

Como chegar ao Real Gabinete Português de Leitura

6 – Feira do Lavradio

A Feira do Lavradio que, inicialmente funcionava somente no primeiro final de semana do mês, devido ao seu sucesso, agora bate cartão na região da Rua do Lavradio todos os sábados.

É uma feira de antiguidades, mas que também tem gastronomia e algumas atividades culturais.

7 – CCBB

O Centro Cultural Banco do Brasil do Rio de Janeiro tem um calendário extenso de eventos e exposições, tanto pagos, como gratuitos.

Em seu interior tem uma filial da tradicional Confeitaria Colombo

Como chegar ao CCBB Rio de Janeiro

8 – Igreja da Candelária

A igreja da Candelária é uma das mais tradicionais do Rio de Janeiro e é aberta para visitação de segunda a sexta das 8 às 16h.

Como chegar à Igreja da Candelária

9 – Mosteiro de São Bento

No Mosteiro de São Bento, fica o colégio homônimo, um dos melhores e mais tradicionais colégios da cidade, onde só estudam meninos.

O interior da igreja é riquíssimo com decoração opulenta nos estilos barroco e rococó. É uma das mais belas da cidade.

Aos domingos, às 10h, são celebradas missas com grande solenidade e utilizando Canto Gregoriano

10 – Saara

Bater perna pelo Saara é uma das coisas para fazer de graça no Rio de Janeiro. Agora se você vai resistir às tentações do maior centro de comércio popular da cidade, já é outra história.

As ruas Senhor dos Passos, Buenos Aires e mais algumas adjacentes reúnem centenas de lojas dos mais variados produtos, com precinhos bem convidativos.

11 – Confeitaria Colombo

Para entrar na Confeitaria Colombo é de graça, você pode dar um rolezinho lá por dentro e apreciar a beleza da arquitetura e decoração da casa mais tradicional do Rio de Janeiro.

Se você sentar para um café e um lanche, vai ficar ainda mais a vontade para tirar fotos da centenária confeitaria.

Como chegar à Confeitaria Colombo do centro do Rio

12 – Ilha de Paquetá

de graça no Rio de Janeiro

Para ir até a Ilha de Paquetá, que fica na Baía de Guanabara, é necessário pegar uma barca de passageiros no terminal da Praça XV, que custa R$6,50 (outubro/22).

Mas bater perna pela pitoresca ilha, que parece uma cidadezinha do interior pertinho do centro do Rio, é uma das coisas de graça no Rio de Janeiro.

Como chegar ao terminal de barcas da Praça XV

13 – Antiga Fábrica da Bhering

Bhering é uma marca de derivados de chocolate, que tem entre seus produtos, alguns famosos como o chocolate em pó e a bala Toffee. Atualmente a marca é controlada pelo grupo Eko Foods e sua moderna fábrica fica na cidade de Mendes, interior do RJ.

Sendo assim, a antiga fábrica localizada no Santo Cristo, sub bairro do centro do Rio, virou um espaço multiuso, que abriga lojas de roupas e móveis, escritórios, galerias de arte, ateliês, livraria, cafés, bistrôs, oficinas, entre outros.

A fábrica com seus 6 andares e visual bastante retrô, tem visitação gratuita e muitos ambientes que rendem fotos iradas, inclusive o terraço, que tem vista para a Baía de Guanabara, de onde dá para ver a roda gigante e o aquário do Rio.

O espaço é tão bacana para fotos, que muitas marcas e pessoas costumam agendar ensaios fotográficos no local. 

Como chegar à antiga fábrica da Bhering

14 – Boulevard Olímpico

O Boulevard Olímpico é uma área portuária da cidade do Rio que foi completamente revitalizada para as Olimpíadas do Rio em 2016.

Uma das atrações mais famosas da região é o painel Etnias desenvolvido pelo brilhante artista brasileiro Eduardo Kobra.

Durante as Olímpiadas, ali era um ponto de concentração de torcedores do mundo inteiro que podiam acompanhar as disputas em telões ou curtir as festas promovidas pela prefeitura da cidade.

O Boulevard Olímpico é uma das atrações de graça no Rio de Janeiro, mas nessa região você também pode visitar o AquaRio, o Museu do Amanhã, a Yup Star (a roda gigante do Rio) e o Museu de Arte do Rio (MAR).

Entretanto, como essas são atrações pagas, elas estão no post como conhecer os principais pontos turísticos do Rio.

Você pode chegar ao Boulevard Olímpico de VLT e descer na estação “Parada dos Museus” ou na estação “Parada dos Navios”.

15 – Pedra do Sal

A Pedra do Sal é um importante marco da ocupação negra na cidade do Rio de Janeiro, é de grande importância histórica e cultural. 

Por ter recebido muitos negros baianos, na região foram criadas diversas casas de candomblé. Nesses centros, muitas “tias baianas” se encontravam para cultuar seus orixás. 

Uma dessas senhoras, era Tia Ciata, sempre citada nos relatos do surgimento do samba no Rio de Janeiro. 

Acabou que a região da Pedra do Sal, juntamente com o Estácio e o Morro de São Carlos, foram os locais de nascimento do samba carioca.

Às segundas-feiras, na Pedra do Sal, rola uma roda de samba de excelente qualidade a partir das 19h.

Veja abaixo um tour gratuito na região da Pedra do Sal.

Santa Teresa

O bairro de Santa Teresa, que fica no centro do Rio, é outra das minhas paixões na cidade.

Subir Santa Teresa, é subir sem hora pra descer, é bater perna sem compromisso, sem hora marcada, sem ter que parar em algum lugar específico.

Aliás, você pode parar em vários lugares, vá caminhando, batendo papo, parando para apreciar uma bela vista, para tirar uma foto ou para uma cerveja.

Santa Teresa tem inúmeros ateliês, bares, restaurantes e alguns botecos bem tradicionais, como o Bar do Mineiro e o Armazém São Thiago (mais conhecido como Bar do Gomes).

Galera reunida em frente ao Bar do Mineiro que fica próximo ao Largo dos Guimarães, Santa Teresa.

A maioria das atrações se concentra no ou próximo ao Largo dos Guimarães. 

Agora se você quiser vivenciar uma experiência mais raiz, próxima dos moradores da região, com aquele jeitão de vizinho sentado na cadeira na calçada, vá até a outra ponta, no Largo das Neves.

Por ali você também vai encontrar bares, ou uma tia do isopor de cerveja, o pipoqueiro, a vizinhança do lugar com as crianças e um belíssimo pôr-do-sol.

Para chegar a Santa Teresa, você pode ir a pé de diversos pontos da cidade, de ônibus ou de UBER. 

Se você for de carro próprio, é relativamente tranquilo estacionar por lá, exceto aos finais de semana de alta temporada. No carnaval, nem pense em subir de carro.

O meio mais charmoso e tradicional de chegar até Santa Teresa é através dos famosos bondinhos amarelos.

Legal: Neste artigo, indico diversos passeios guiados gratuitos para você fazer pelo Rio de Janeiro. Quem conduz esses passeios são guias turísticos ou professores de história que transmitem grande conhecimento que vão agregar bastante à sua viagem.

16 – Bondinho de Santa Teresa

Eu sei que o Bondinho de Santa Teresa não é uma atração gratuita, mas vou pensar nele como um meio de transporte que você precisa pagar para chegar até o bairro.

O tradicional bondinho que ficou parado por alguns anos, devido à uma revitalização e manutenção que garantiram mais segurança para os passageiros, perdeu um pouco o status de simples transporte e foi alçado ao posto de atração turística mesmo.

Explico: Antes da revitalização do sistema, o bondinho custava o mesmo preço que uma passagem de ônibus urbano e para acessá-lo era meio bagunçado. Agora, o bondinho está bonito, padronizado e a passagem custa R$20,00 com direito a desembarcar e embarcar quantas vezes quiser.

Em finais de semana de verão, te aconselho a chegar cedo na estação de embarque, que fica na Rua Lélio Gama, bem atrás do famoso prédio da Petrobrás.

O percurso do bonde é lindo, principalmente no início quando passa sobre os Arcos da Lapa e nos vários mirantes, já em Santa Teresa, de onde é possível ver o centro do Rio.

17 – Parque das Ruínas

O Parque das Ruínas fica em Santa Teresa, é uma construção linda, bastante fotogênica. De lá de cima se tem uma visão privilegiada do centro, da Baía de Guanabara, do Aterro do Flamengo, do Pão de Açúcar e também é uma das atrações de garça no Rio de Janeiro.

Atrações de graça no Rio de Janeiro no Parque Nacional da Tijuca

18 – Parque Nacional da Tijuca

O Parque Nacional da Tijuca tem a maior floresta urbana do mundo. Como o Parque é imenso e no alto, ele pode ser acessado por inúmeros caminhos, seja pela Zona Norte (Tijuca e Rio Comprido), Zona Oeste (Itanhangá), Zona Sul (São Conrado, Jardim Botânico, Cosme Velho) .

Algumas das próximas atrações de graça no Rio de Janeiro ficam dentro do Parque Nacional da Tijuca. 

19 – Mirante Dona Marta

Do Mirante Dona Marta se tem uma visão quase em 360º da cidade do Rio de Janeiro. De lá de cima é possível avistar alguns monumentos famosos como o Maracanã, a Ponte Rio Niterói, o Pão de Açúcar, sem contar que você estará aos pés do Cristo.

Outro lado do Mirante Dona Marta com vista para a Baía de Guanabara e o Pão de Açúcar

Para chegar lá, caso você não esteja de carro próprio, a melhor maneira é chamando um UBER.

O pôr-do-sol de lá também é lindo, mas cuidado para não descer depois de escurecer, principalmente se você não estiver com carro próprio.

20 – Vista Chinesa

Mirante com construção de um pagode em estilo oriental e belíssima vista da Zona Sul da cidade e Lagoa Rodrigo de Freitas.

21 – Trilhas e caminhadas

Existem diversos lugares para fazer trilhas e caminhadas na cidade do Rio de Janeiro, mas as trilhas mais famosas estão no Parque Nacional da Tijuca, como essas abaixo:

  • Trilha do Parque Lage/Corcovado
  • Trilha da Pedra Bonita e da Gávea
  • Trilha do Pico da Tijuca
  • Trilha do Circuito das Grutas

IMPORTANTE: Algumas dessas trilhas são bem pesadas e é altamente recomendável a presença de um guia

22 – Assistir saltos de asa delta da Pedra Bonita

Um passeio bem bacana para quem não tem coragem de voar, mas gosta de ver as asas deltas pelo céu, é visitar a rampa de voo livre da Pedra Bonita.

23 – Cachoeiras do Parque Nacional da Tijuca

Você pode visitar e se refrescar nas cachoeiras do parque. As mais famosas são a do Horto, das Paineiras, da Gruta e dos Primatas.

Se liga: Existem estradas que percorrem quase todo o Parque Nacional da Tijuca e que permitem chegar a quase todas as atrações, no entanto alguns desses acessos são fechados aos finais de semana, dando preferência para ciclistas e pedestres.

Zona Norte

A Zona Norte não é uma região com muitos atrativos turísticos. Além dos que você verá abaixo, nas coisas de graça no Rio de Janeiro, na região também fica o Jardim Zoológico da cidade, o Maracanã, o Engenhão e algumas escolas de samba tradicionais da cidade, como  Mangueira, Salgueiro e Portela.

24 – Quinta da Boa Vista

A Quinta da Boa Vista é um parque público com entrada gratuita localizado no bairro de São Cristóvão com mais de 155 mil metros quadrados. Por lá, muitas famílias fazem piqueniques, andam de bicicleta ou pedalinho.

Dentro da Quinta da Boa Vista fica o Museu Nacional, um dos mais importantes do país, que está em fase final de reconstrução, depois que um grande incêndio destruiu boa parte do prédio e de seu acervo em setembro de 2018.

O BioParque do Rio, que é o jardim zoológico da cidade, também fica nas dependências da Quinta da Boa Vista.

A entrada do museu custa R$8,00 (inteira) e R$4,00 (meia)

A entrada do BioParque do Rio custa a partir de R$38,00

A Quinta da Boa Vista é gratuita. Você só paga se quiser conhecer o Museu Nacional ou o BioParque do Rio. 

25 – Feira de São Cristóvão

Aproveitando que você já estará em São Cristóvão, que tal conhecer a famosa Feira de São Cristóvão, também conhecida como Feira de Tradições Nordestinas, mas chamada por muita gente até hoje de Feira dos Paraíbas (não sei se de forma carinhosa ou pejorativa).

A feira funciona dentro do Centro Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas, também conhecido como Pavilhão de São Cristóvão e conta com muito da culinária, artesanato e cultura do nordeste brasileiro.

26 – Feira das Yabás

Você já deve ter ouvido falar em um bairro chamado Madureira, correto? Pelo menos na famosa música “Meu Lugar”, do compositor Arlindo Cruz. 

Pois bem, Madureira é um dos bairros mais tradicionais do mundo do samba. Madureira abriga nada menos do que 3 grandes escolas de samba: Portela, Império Serrano e Tradição.

Por lá, no segundo domingo do mês, rola a feira das Yabás, um evento de música e gastronomia. “Música e comida de gente preta” como me disse certa vez uma senhora de uma das mais famosas barracas, a da “rabada da Tia Neném”.

A verdade é que a Feira das Yabás é para todos. Assim como qualquer evento de samba, é um espaço democrático, onde todos convivem em harmonia, desfrutam de um bom samba, tomam uma cervejinha e provam das mais variadas delícias. Cada barraca com sua especialidade. 

É como um grande almoço de domingo em família na calçada de casa. Bem coisa da cultura de subúrbio.

Embora Madureira seja afastada das regiões mais turísticas da cidade, a Feira das Yabás é um evento que merece ser visitado, principalmente por quem gosta verdadeiramente de samba e de comida boa.

Ainda vou escrever um post aqui no blog só falando sobre a Feira das Yabás.

Para chegar lá, basta pegar o trem dos ramais Santa Cruz , Deodoro ou Japeri, descer na estação de Madureira ou de Oswaldo Cruz e ir a pé até a feira.

Zona Sul

27 – Parque Lage

O Parque Lage é uma das paisagens mais fotografadas do Rio de Janeiro. 

Embora seja um parque público com acesso gratuito que existe há mais de 2 séculos, o parque caiu no gosto popular nos últimos anos, fazendo com que a administração do parque passasse a controlar o acesso através de visita com hora marcada e ingresso adquirido online.

Veja bem, o Parque Lage continua sendo uma atração de graça no Rio de Janeiro, mas é preciso adquirir o ingresso online e chegar na hora marcada.

28 – Lagoa Rodrigo de Freitas

Outro cenário deslumbrante do Rio de Janeiro, a Lagoa Rodrigo de Freitas pode ser aproveitada para um piquenique, uma pedalada, corrida, caminhada ou simplesmente para tomar uma água de coco e apreciar a paisagem e o vai e vem das pessoas.

29 – Largo do Boticário

Em janeiro de 2020 o Largo do Boticário estava quase abandonado

Eu estive no Largo do Boticário um pouco antes da pandemia e o cenário era desolador. O escondido larguinho do bairro do Cosme Velho, com seu casario colorido, estava completamente abandonado, pelo menos era a impressão que dava, pois tudo estava fechado. E era um domingo de janeiro.

O conjunto de casarões históricos foi adquirido pela empresa de hotéis Accor, foi reformado e se transformou no hostel Jo&Joe Largo do Boticário. Aproveite para visitar esta beleza.

30 – Mureta da Urca

Outro dos meus lugares favoritos no Rio de Janeiro, a mureta da Urca tem a cara do Rio. De graça, informal, descontraída, com gente de todas as tribos convivendo em paz, comendo um pastel e tomando uma gelada.

De lá é possível ver a ponte Rio Niterói, a enseada de Botafogo, as aeronaves pousando e decolando do Santos Dumont e o Cristo Redentor.

É um excelente lugar para assistir ao pôr-do-sol no Rio de Janeiro.

Existem diversos pontos onde é possível parar e curtir a vibe do lugar, uma é em frente ao Urca Grill, no entroncamento da Av. Portugal com a Rua Mal. Cantuária. Esta parte é chamada de Pobreta da Urca. É onde o Google Maps te leva se você marcar “mureta da Urca”

O ponto mais famoso da Mureta da Urca é em frente ao Bar Urca, na Av. João Luís Alves, já quase na entrada da Escola Superior de Guerra.

 

31 – Fortaleza de São João

Lugar lindo, de grande importância histórica para a cidade do Rio, mas bem pouco conhecido dos cariocas. Para visitar a Fortaleza de São João, no bairro da Urca, é preciso agendar.

Todas as visitas são guiadas e disponíveis nos seguintes horários: 9h e 13:30h

Agendamento através do e-mail: sitiohistorico.fsj@gmail.com

Ou pelo WhatsApp: (21) 97295-5891

32 – Pedra do Arpoador

A Pedra do Arpoador, que eu também cito no artigo sobre as praias do Rio de Janeiro, tem uma linda vista da cidade, sobretudo no pôr-do-sol, quando a galera “good-vibes” se reúne para aplaudir e se despedir do sol.

33 – Mirante do Leblon

O Mirante do Leblon é um pedacinho de calçadão no início da subida da Av. Niemeyer, que conta com algumas vagas para carro e com um quiosque. A vista de lá é linda.

É especialmente bonito quando o mar está de ressaca e as ondas quebram sobre o mirante. Nesses dias, tenha cuidado de não se aproximar demais do parapeito, se molhar ou pior, ser arrastado pelas ondas.

34 – Pista Cláudio Coutinho

A Pista Cláudio Coutinho é um local para caminhadas e corridas que começa na Praia Vermelha, que eu também mencionei no post sobre as praias do Rio de Janeiro, que tem uma bela vista do mar e fica aos pés do Morro da Urca.

Inclusive é o acesso para nossa próxima atração.

Como chegar à Pista Cláudio Coutinho

35 – Visitar o Morro da Urca de graça

Para quem não sabe, a famosa atração “Pão de Açúcar”, na verdade são dois morros. Primeiro você pega o bondinho até o Morro da Urca e depois outro bondinho para o mais alto e que dá nome à atração, o morro do Pão de Açúcar.

Para chegar ao Morro da Urca de graça, basta seguir a pista Cláudio Coutinho e depois pegar a trilha que é de nível fácil e super bem sinalizada, que leva até ao cume do morro.

Cultura inútil: Só o cume interessa!!! É o nome de um bloco carnavalesco do Rio, criado por montanhistas, justamente da Urca. Assim como tantos outros blocos de carnaval do Rio, com nomes com duplo sentido.

36 – Parque Penhasco Dois Irmãos

Situado no Leblon, o parque conta com 4 mirantes em diversos níveis, de onde é possível avistar as praias do Leblon e Ipanema e até mesmo o Jockey Clube, a Lagoa e o Cristo.

Para chegar lá, basta jogar o nome do parque no GPS ou colocar essa informação no aplicativo do UBER. Funciona de terça a domingo das 8 às 17h.

37 – Parque da Catacumba

O Parque da Catacumba fica na Lagoa, próximo ao corte Cantagalo. O Parque é municipal e é uma das atrações de graça no Rio de Janeiro.

Para chegar até os mirantes, basta pegar uma trilha bem sinalizada logo depois da entrada do Parque. Lá de cima é possível ver a Lagoa Rodrigo de Freitas, o Corcovado e um pedacinho do mar.

38 – Mureta do Leme

Eu acho a Mureta do Leme menos interessante que a da Urca. São vistas bem diferentes, é claro, mas a Mureta do Leme é mais apertada, tem menos espaço e é menos democrática.

A vantagem da Mureta do Leme é que você pode comer e beber no quiosque de mesmo nome, apreciando a vista da orla do Leme e Copacabana.

39 – Forte Duque de Caxias

A visita ao Forte Duque de Caxias ou Forte do Leme, pode ser combinada com a Mureta do Leme. Do forte é possível ver o Pão de Açúcar, a entrada da Baía de Guanabara, parte da orla da Zona Sul e aprender um pouco mais sobre a história do Rio.

A entrada é gratuita às terças-feiras e R$4,00 nos outros dias da semana. 

Como chegar ao Forte Duque de Caxias no Leme

40 – Praias do Rio de Janeiro

Outras das atrações de graça no Rio de Janeiro são as praias. Neste post eu reuni dicas de 29 praias no Rio de Janeiro.

Atrações de graça no Rio de Janeiro: Zona Oeste

Para terminar a nossa lista de coisas de graça no Rio de Janeiro, saiba que as melhores e mais belas praias do Rio de Janeiro estão na Zona Oeste, mas a dica aqui, agora é outra.

41 – Ilha da Gigóia

A Ilha da Gigóia é uma ilha em uma lagoa na Barra da Tijuca, que tem acesso bem pertinho da estação Jardim Oceânico do metrô.

A ilha é uma graça e parece um oásis de tranquilidade tão perto do trânsito e do barulho da Barra da Tijuca. 

O lugar é pitoresco e só existem casas de moradores, pousadas, bares e restaurantes. Suas ruas são estreitas, onde só é possível passar pedestres e bicicletas. O lugar é bastante pitoresco e merece uma visita.

O acesso é feito de barco pela Avenida Lombardi 350. A viela que dá acesso ao deck dos barcos fica entre o Barra Point e a Unimed.

Como chegar ao ponto dos barcos que levam à Ilha da Gigóia

Deixe uma resposta

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Consulte mais informação

Política de Privacidade e Cookies